Biblioteca??????? Nem pensar!

  • Trabalhos académicos?
  • Matéria para os testes?
  • Exercícios de matemática?
  • (…)
Anúncios

11ª edição do Concurso Nacional de Leitura 2017

Mais uma vez a nossa escola participou no Concurso Nacional de Leitura, na 2ª fase distrital na Ponte da Barca.

A experiência é sempre muito boa, não só pelo companheirismo, mas sobretudo pelo encontro com os livros e as suas múltiplas expressões, contribuindo para o desenvolvimento das competências leitoras e hábitos de leitura.

Para comemorar o Dia Mundial do Livro a biblioteca escolar trouxe aos alunos uma “Lufada de Ar Fresco”

No dia 23 de abril celebra-se o dia Mundial do Livro, por isso a biblioteca acolheu o Ricardo Correia e o André Amorim que nos trouxeram uma “lufada de ar fresco” de jovialidade, criatividade e pertinência dos temas que apresentam no seu livro, isso mesmo ” LUFADA DE AR FRESCO”.

Dois jovens limianos que cruzaram os seus caminhos no percurso académico na ESSVC, dizem que  não querem « influenciar pensamentos, porque muitas destas páginas foram escritas com o intuito de abrir a mente às pessoas, fazê-las pensar de forma crítica, mostrar que não precisamos de seguir a corrente com os outros, porque não acrescentamos nada de novo, tornamo-nos apenas “mais um” nesta lotaria que é a nossa vida.»

Semana da Leitura 27 a 31 de Março

Ler com PRAZER/ Ler para SER

Cartaz da semana da leitura para o concelho de Ponte de Lima da autoria da aluna Eva Pereira do Curso de Artes Visuais.

Sessão musical com o Ângelo e a Sarah:

 

Tertúlia: Ler para quê? Um livro pode mudar a nossa vida?

Momento fantástico de partilha e vivências de leituras !

Com os professores Augusto Viana, Céu Malheiro, Sónia Martins , os alunos Eva Direito e João Pedro Cunha e a assistente operacional Patrícia Fernandes.

 Leitura de histórias de encantar

A turma do 4º ano da EB1 de Ponte de Lima veio à Biblioteca ouvir histórias, contadas pelos alunos do 9º ano .

Um escritor na biblioteca

Professor Teodoro da Fonte: Crianças nos livros

Eu não tenho pai nem mãe

Nem desta terra parentes

Sou filha das tristes ervas

Neta das águas correntes.

Quem me dera uma mãe

Inda que fosse uma silva

Por mais que ela me picasse

sempre eu era sua filha