Revista Vozes

 

https://view.joomag.com/revista-vozes-vozes-final-1p/0504841001516707873

Anúncios

Vencedores do CNL – fase regional

Alunos vencedores da Fase Regional, efetuada no dia 13 de abril, na Biblioteca Municipal de Ponte de Lima, e que transitaram para a próxima fase – Fase Intermunicipal – a realizar em Vila Nova de Cerveira, no dia 17 de maio:

1.º CICLO
Agrupamento de Escolas de Ponte de Lima
– Sebastião Miguel de Abreu Lima Batista.

2.º CICLO
Agrupamento de Escolas de Arcozelo
– Bárbara Martins Pereira.

3.º CICLO
Agrupamento de Escolas de Arcozelo
– Joana Filipa Amorim Antunes.

ENSINO SECUNDÁRIO
Agrupamento de Escolas de Ponte de Lima
– Eva Rebelo Armada Direito.

Entrevista n.º1 – Donzela Medieval

A ESPL TV divulga o guião da sua primeira produção “Anacrónicas e Insólitas Mulheres”. O jornalista Gil Vaz recebe no seu estúdio uma jovem perdida no tempo e a agonizar de aflição.

 

DONZELA: Ai, Deus, u é meu amigo!? Vistes vós meu amigo, aquele que devia estar comigo!?

Gil Vaz: Como, minha senhora? Acalme-se por favor. Olhe, sente-se aqui. Quem é esse amigo de que me fala?

DONZELA: O meu amigo, o meu amado, aquele que mentiu do que me à jurado!

Gil Vaz: Por favor tenha calma, sente-se e explique-me o que se passou.

A Donzela limpa o rosto embebido em lágrimas, senta-se e começa a contar o sucedido.

DONZELA: Mia madre à fonte me mandara pera água ir buscar e lá estava um cervo a água a turbar e, nisto, passou meu amigo que me quis olhar.

Gil Vaz: Foi amor à primeira vista então?

DONZELA: Meu coração por ele logo sentiu grão cuidado, porém dois dias haviam já passado e eu não no voltara a ver.

Gil Vaz: Quer dizer que não chegou ao diálogo, ficaram-se só pelo olhar?

DONZELA: Nam, pois outro dia estivemos a bailar.

Gil Vaz: Belo progresso, como é que isso foi?

DONZELA: Um serão no largo da Igreja houvera e eu e mias amigas nos pusemos velidas pera sob a avelaneira bailar e nosso amigo cativar.

Gil Vaz: Que desenvoltura! E ainda dizem que isso são manias dos tempos de agora, e esse plano resultou?

DONZELA: Si, el plano resultado e meu amigo comigo há bailado. E leda fiquei eu, pois sobre o nosso amor todas as aves imentavam. Porém meu amigo lhes tolheu os ramos onde pousavam e secou as fontes onde iam beber. E eu choro então por ele, amar é sofrer!

Ao aperceber-se de que a Donzela estava de novo a chorar, Gil Vaz tenta reconfortá-la novamente.

Gil Vaz: Não perca a esperança, mas para a poder ajudar terá que me contar exatamente o que sucedeu.

DONZELA: O serão era já passado e nós estivemos a combinar que na fonte nos havíamos de encontrar, mas ele não apareceu, e eu choro então por ele, sofro por amar.

Gil Vaz: E ninguém viu vosso amigo?

DONZELA: Nem as flores nem as ondas do Mar de Vigo hão visto meu amigo, o por quem eu suspiro.

Súbito, Gil Vaz parece estar a receber alguma informação pelo intercomunicador, e reconforta a Donzela:

Gil Vaz: Tenho novas de vosso amigo, este é são e vivo.

DONZELA: Ai Deos e u é?

Gil Vaz: Vós me perguntastes pelo vosso amado e eu fui informado de que  está sano e vivo e estará convosco ant o prazo saído.

DONZELA: Ai Deos e u é?

Gil Vaz: Dizem que ele está à vossa espera na Igreja onde bailaram.

A Donzela enche-se de alegria, pois estará em breve com o seu amigo e ao sair do estúdio exclama:

– Ai Deos, leda m’and’eu!

 

Luís Dantas

Projeto de escrita criativa- 10ºI

Cerco de Lixboa

O cerco há meses montado

E o povo, rebaixado, esfomeado,

Resistia, constante e coitado

Contra o inimigo, açoitado.

 

Das gentes de dentro,

Expulsavam-se os mundanos.

E a fome cidade adentro

Consumia os humanos.

 

Crepitavam os homens

Em busca de pão.

Obedecendo às ordens

Remavam sem senão.

 

Dentro das muralhas,

Viravam galinhas esfomeadas.

Encontradas migalhas,

Logo eram devoradas.

 

E as mães, secas,

Destruídas, choravam

Pela morte dos filhos

Cujos corpos acaloravam.

 

Mesquinharias pairavam

Sobre a cidade.

Sem demora começavam

Brigas sem piedade.

 

Mas, o povo vigoroso

Era apenas um!

E rezava choroso

Dando Deus sinal algum…

 

Então cercados, tinham

A fome e os castelhanos.

Deles advinham

Sofrimentos insanos.

 

Mas, uma mancha preta

Caiu sobre as tropas

Pra bem do povo lisboeta,

Abandonaram as frotas!

 

Juntos, os portugueses

Enfrentaram, sem nunca temer,

O bárbaro inimigo

Que acabou por ceder.

 

Maria Camila Fernandes Marinho

Projeto de escrita criativa – 10ºI

Semana da Leitura, 5 a 9 de março

A sessão de abertura deu-se a 5 de março, às 10:00, na biblioteca e contou com a presença do Vereador da Educação, da Diretora e Subdirectora do Agrupamento, do Presidente da Associação de Estudantes, de professores e alunos . Foi abrilhantada com uma peça musical executada pelos alunos do Ensino Articulado da nossa escola e foi declamado o poema Liberdade, de Fernando Pessoa, pelo aluno Luís Dantas. Foram entregues, nesta sessão, os certificados de participação do Concurso Nacional de Leitura.

De seguida, iniciaram-se as atividades com uma reflexão  sobre o mito do Sebastiansimo… o antes e o depois, pelo professor José Manuel Araújo, direcionada para os alunos do 12º ano.

 

 

“PEQUENAS COISAS DE NÓS”

Somos da Escola Secundária de Ponte de Lima, Agrupamento de Escolas de Ponte de Lima. Queremos estar com todos vós, que nos ouvis, mas também esperamos de vós, ouvintes, colaboração. Nós apresentaremos lendas, tradições, pequenos apontamentos, das terras de todos nós, terras essas que se resumem à terra limiana…

Queremos apresentar, por ordem alfabética, todas as 51 freguesias, respeitando os seus nomes antes da nova estruturação em Associações de Freguesias.

À terça-feira e ao sábado, de 15 em 15 dias, estaremos na Rádio Ondas do Lima.