Sugestão de Leitura

 O Velho e o Mar Autor: Ernest Hemingway

 Tipo de texto: Texto literário

Género literário: Género narrativo

Sinopse:                                                                                                  hemingway-o-velho-e-o-mar

Santiago, um velho pescador cubano, está há quase três meses sem conseguir pescar um único peixe, quando o seu isco é finalmente mordido por um enorme espadarte. O peixe imponente resiste, arrasta a sua canoa cada vez mais para o alto mar, na corrente do Golfo, e obriga a uma luta agonizante de três dias que o velho Santiago acabará por vencer, para logo se ver derrotado. Com uma linguagem de grande simplicidade e força, Hemingway retrata nesta aventura poética a coragem humana perante as dificuldades e o triunfo alcançado apesar da perda. Comovente romance, obra-prima de maturidade de Hemingway, O Velho e o Mar recebeu o Prémio Pulitzer em 1953 e desempenhou um papel essencial na obtenção pelo seu autor, um ano mais tarde, do Prémio Nobel da Literatura.

A Restauração da Independência

transferir

É a designação dada ao golpe de estado revolucionário ocorrido a 1 de dezembro de 1640. Chefiada por um grupo designado como “Os Quarenta Conjurados”, a revolta dos portugueses alastrou-se por todo o Reino, contra a tentativa da anulação da independência do Reino de Portugal pela governação da Dinastia Filipina castelhana, culminando com a instauração da 4.ª Dinastia Portuguesa – a casa de Bragança – com a aclamação de D. João IV.

Esse dia, designado como Primeiro de Dezembro ou Dia da Restauração, era comemorado anualmente em Portugal com muita pompa e circunstância ainda no tempo da monarquia constitucional. Por isso, uma das primeiras decisões da República Portuguesa em 1910 foi passá-lo a feriado nacional como medida popular e patriótica. No entanto, essa decisão foi revogada pelo XIX Governo Constitucional, de Passos Coelho, passando o feriado a comemorar-se em dia não útil a partir de 2012. O objetivo da medida, conforme declaração do Governo, era o de “acompanhar, por esta via, os esforços de Portugal e dos portugueses para superar a crise económica e financeira que o País atravessa”. Esta decisão será submetida a reavaliação em 2017.

Texto extraído da Wikipédia

Sugestão de leitura…

livro

        Esta é a história do Simão, um jovem com dezasseis anos, cuja vida muda e toma um rumo que jamais imaginaria; surgem desafios enormes e um suposto sem-abrigo poderá mesmo ser a melhor e única ajuda que o Simão encontra quando começa a ser vítima de agressões por parte de dois novos colegas. Mas a vida não para de o surpreender e uma paixão, a primeira paixão, que tem de ignorar para se manter a salvo, desperta. Conseguirá o Simão voltar a sorrir? Conseguirá rumar na rota do seu sonho? Conseguirá deixar de ser vítima dos dois rapazes? Será possível acreditarmos que o amor, só o amor, pode ser o fio condutor?

Como Estudar para um Teste

Antes do teste: 

  • Estuda com tempo. A véspera deve ser reservada para uma revisão final da matéria.
  • Treina-te a dar as respostas possíveis, por exemplo resolvendo testes antigos
  • Procura dormir bem: a frescura física é uma condição essencial para ter sucesso numa prova de avaliação.
  • Encara as provas com autoconfiança: o medo excessivo é um obstáculo ao êxito escolar.
  • Traça previamente um plano de estudo dos conteúdos.Reserva, para a véspera da prova, a revisão final.
  • Volta a ler os sublinhados do texto do manual, as anotações e os apontamentos para consolidares os teus conhecimentos.

Durante a realização do teste: 

  • Não te esqueças de levar todo o material necessários à realização da prova
  • Lê todo o enunciado da ficha antes de responderes, pois poderás tomar as atitudes mais corretas quanto à distribuição do tempo e à forma de organização das respostas.
  • Distribui o tempo pelas várias perguntas, tendo o cuidado de deixar os últimos 5 ou 10 minutos para uma leitura/revisão das respostas.
  • Procura captar sempre o sentido exato das questões, conhecendo previamente o significado de termos como Define, Interpreta, Explica, Analisa, Comenta, Relaciona. Lembra-te de que perguntas mal compreendidas serão mal respondidas.
  • Faz uma lista de tópicos antes de começares a responder. Em seguida, ordena-os de forma lógica e coerente e, só depois, elabora a resposta.
  • Começa a responder às perguntas mais simples e fáceis. Em caso de dificuldade, não te deixes bloquear e passa imediatamente a outra questão.
  • Responde de forma clara e segura. Evita falar daquilo que não dominas bem.
  • Cuida a caligrafia pois a legibilidade de um texto facilita a sua avaliação. Se o professor não conseguir ler a tua resposta não poderá considerá-la certa.

Após a entrega/correção do teste:

  • Quaisquer que sejam os resultados, solicita ao professor um comentário à tua ficha.
  • Em casa, consulta o manual e responde às questões em que tiveste mais dificuldades. Recorre de novo ao professor se ainda tiveres alguma dúvida.
  • Se tiveres uma nota baixa, não encares o resultado com derrotismo. Assume a responsabilidade e, sobretudo, lembra-te de que é apenas um aviso de que deves estudar mais ou melhorar os teus métodos de estudo. Confia em ti e não desanimes.
  • Se obtiveste uma boa classificação, orgulha-te do resultado mas não o encares com triunfalismo. Continua a trabalhar, pois essa é a chave para o êxito.

 

Crepúsculo de Outono

O crepúsculo cai, manso como uma benção.
Dir-se-á que o rio chora a prisão de seu leito…
As grandes mãos da sombra evangélicas pensam
As feridas que a vida abriu em cada peito.

O outono amarelece e despoja os lariços.
Um corvo passa e grasna, e deixa esparso no ar
O terror augural de encantos e feitiços.
As flores morrem. Toda a relva entra a murchar.

Os pinheiros porém viçam, e serão breve
Todo o verde que a vista espairecendo vejas,
Mais negros sobre a alvura unânime da neve,
Altos e espirituais como flechas de igrejas.

Um sino plange. A sua voz ritma o murmúrio
Do rio, e isso parece a voz da solidão.
E essa voz enche o vale…o horizonte purpúreo…
Consoladora como um divino perdão.

O sol fundiu a neve. A folhagem vermelha
Reponta. Apenas há, nos barrancos retortos,
Flocos, que a luz do poente extática semelha
A um rebanho infeliz de cordeirinhos mortos.

A sombra casa os sons numa grave harmonia.
E tamanha esperança e uma tão grande paz
Avultam do clarão que cinge a serrania,
Como se houvesse aurora e o mar cantando atrás.

Manoel Bandeira