1ª Fase – Concurso Nacional de Leitura

Concurso Nacional de Leitura é uma iniciativa do Plano Nacional de Leitura que visa estimular o gosto e o prazer da leitura para melhorar o domínio da língua portuguesa, a compreensão leitora e os hábitos de leitura.
A 1.ª fase do Concurso Nacional de Leitura decorreu hoje ao longo da manhã na biblioteca escolar.
Nesta fase participaram 21 alunos do terceiro ciclo e   14 alunos do ensino secundário. O trabalho de preparação para esta fase compreendia a leitura de duas obras escolhidas pela equipa da biblioteca ,”A ilha desconhecida” de José Saramago, para o terceiro ciclo  e “António Lobo Antunes o Amor das coisas Belas” de Jorge Reis Sã, para o ensino secundário.

“E se fosse eu? Fazer a mochila e partir.”

    Sensibilizar as crianças e jovens para as dificuldades que os refugiados enfrentam ao fugir da guerra, em busca de proteção humanitária, é o objetivo central da campanha

E se fosse eu? Fazer a mochila e partir.” 

     Esta iniciativa, da responsabilidade da Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR), em colaboração com o ACM, Direção-Geral da Educação (DGE) e Conselho Nacional de Juventude (CNJ), mobilizou escolas e marcou o dia dos alunos que, respondendo ao desafio de se colocarem na “pele” de um refugiado, levaram para a escola a sua mochila, em formato físico ou em papel, com os bens que levariam se tivessem que fugir de um país em guerra, partilhando depois as razões da sua escolha.
      As turmas do 11ºB e 11ºC  da nossa escola colaboraram neste desafio. Elaboraram mensagens para a mochila do refugiado.
  “Somos um país que lidera, em contexto europeu, na intervenção ao nível do acolhimento de refugiados”,  realçando o valor da solidariedade entre todos, bem como “a riqueza de uma Europa sem fronteiras, que não pode ser destruída”.
“Os outros são como nós e quando aqui chegam passam a fazer também parte de nós”
“Em defesa da “riqueza de uma Europa sem fronteiras”

IMG_20181211_130547

Concurso Nacional de Leitura

1ª fase – realiza-se no dia 16 de dezembro  às 8h30 na Biblioteca  Escolar.
Os livros escolhidos:
– O Conto da Ilha Desconhecida de José Saramago para o 3º ciclo.O Conto da Ilha Desconhecida
Sinopse:
Este é um conto que gira em torno de um homem que vai até o rei para pedir que lhe dê um barco. Ao chegar ao castelo, percebe que existem duas portas: uma delas é a porta dos obséquios, em que o monarca passa a maior parte do tempo recebendo presentes dos seus súditos. A outra é a porta das petições, onde o rei praticamente nem aparece e existe um processo muito burocrático para que se possa pedir algo ali. Mas, naquele dia, o homem estava determinado e exigiu que o rei o recebesse para que ele fizesse o seu pedido.
Ao ser questionado sobre seus motivos para desejar ter um barco, ele responde que deseja encontrar a ilha desconhecida. No entanto, o homem sabia que, de acordo com os geógrafos, não havia mais ilhas desconhecidas, pois todas elas já teriam sido encontradas por alguém. Mesmo assim, ele acredita que possa descobrir uma nova.
Tudo parece estar contra aquele homem sonhador: o rei não parecia disposto a dar-lhe um barco, os marinheiros não aceitariam participar dessa empreitada, o mar andava agitado e os geógrafos do rei tentavam, de qualquer maneira, convencê-lo de que a aventura seria em vão, pois ele não conseguiria encontrar uma ilha que ainda não tivesse sido descoberta.
Mesmo diante de todas essas adversidades, o homem não se abateu e nem desistiu do seu propósito. E assim, com muita insistência, conseguiu convencer o monarca a lhe dar o barco. E não foi só isso: também conquistou a simpatia de uma das criadas que fazia a limpeza do castelo, de modo que ela abandonou o seu trabalho para seguir aquele homem.
No entanto, nem tudo ia tão bem: além da mulher da limpeza, o homem não encontrou mais ninguém que aceitasse acompanhá-lo durante a viagem. Não havia no reino um marujo sequer que desejasse participar dessa busca por uma ilha desconhecida.
A história decorre, portanto, ao redor dessa busca do protagonista pela ilha desconhecida sobre a qual ele não sabia absolutamente nada (afinal, se soubesse algo, a ilha já seria conhecida!). Talvez para a surpresa da maior parte dos leitores, ele consegue encontrar a ilha, no lugar onde menos esperava.
O Amor das Coisas Belas de António Lobo Antunes  para o Secundário.
SinopseAntónio Lobo Antunes
Era uma vez um menino chamado António, que nasceu para escrever, mas cresceu para ser médico. Só que o António não é um médico igual aos outros – é pelos livros que cura as pessoas. Mais tarde, haveria de deixar o Miguel Bombarda para escrever. E tornou-se o Fidípides da literatura. O António foi à guerra e nunca se curou dela. A dor da guerra, omnipresente, perpassa-lhe a vida e os livros. Como o amor: do avô, a pessoa mais importante da sua vida; do pai, duro mas de quem guardou as coisas belas que hoje verte em palavras; e dos irmãos, inquebráveis.
Como é que se ama quem nunca disse que nos amou? O António e o pai só se reconciliaram verdadeiramente depois da morte. Porque antes a vida atrapalhou sempre.  

Dia Nacional da Pessoa com Deficiência

O Dia Nacional da Pessoa com Deficiência é celebrado a 9 de dezembro.

Os objetivos do dia passam por sensibilizar a população para a situação das pessoas com deficiência e por promover a sua inclusão na sociedade.
Neste dia debate-se a independência e a autonomia das pessoas com deficiência e a criação de condições de inclusão destes cidadãos, que dão o seu testemunho e deixam sugestões de inclusão.
É hábito nesta data realizarem-se diversas atividades que contribuem para a felicidade das pessoas e das famílias que vivem com deficiência, tudo no sentido de tornar a sociedade mais solidária e justa.

imagem 3